Meu Bêbe - Cuidados com o Recem Nascido

 

Matéia 1

Prematuro Exige Maiores Cuidados
O nascimento de um bebê prematuro pode estar relacionado à diversos fatores. Quanto mais fatores de risco encontrados na história obstétrica da gestante, maior a probabilidade de o parto ser prematuro. Entre os fatores estão tabagismo, estresse, uso de álcool ou drogas, ganho de peso insuficiente, nutrição insuficiente, desequilíbrio hormonal, infecções, entre outros.
A interrupção precoce da gravidez e, consequentemente, a imaturidade orgânica e funcional do recém-nascido é a responsável pelas características fisiológicas desta faixa etária. Segundo o dr. Hélio Hermenegildo Marques Maues, presidente da Sociedade Tocantinense de Pediatria, estas características incluem precário controle da temperatura corporal, risco aumentado às infecções, risco aumentado de problemas hemorrágicos, maior freqüência e gravidade das icterícia neonatais, maior freqüência de distúrbios respiratórios, maior risco de distúrbios do metabolismo hídrico e eletrolítico, maior risco de distúrbios metabólicos e maior predisposição à desnutrição. " A assistência ao prematuro deve ser iniciada na sala de parto com cuidados especializados", detalha.
De acordo com o pediatra, no berçário a conduta básica é a manutenção da temperatura corpórea, manutenção de oxigenação eficiente, alimentação apropriada, além de se evitar infecções. "Em casa na impossibilidade de alimentação direta ao seio as melhores opções na alimentação do prematuro é o leite humano exclusivo ou se não for possível, intercalado com fórmulas artificiais concentradas(no sentido de fornecer o aporte calórico indicado )", conclui

Apnéia do Sono: Tratamento
A apnéia do sono, parada respiratória que ocorre normalmente em recém-nascidos, requer um tratamento especial para evitar maiores danos à criança.
Nos casos em que a criança necessita de maior atenção, o bebê é submetido a um exame, que poderá ser feito durante o dia, caso esteja dormindo (é necessário três horas de sono para a realização do exame). Detectado o problema, utiliza-se um monitor cardiorrepiratório. Pequenas pastilhas aderem à pele do bebê, sendo capazes de detectar a freqüência cardíaca e respiratória e, em caso de parada respiratória, soará um alarme que desperta o bebê. Caso a criança não desperte, a mãe, devidamente orientada pelo médico, poderá recorrer às manobras de ressuscitação. Uma avaliação médica mais detalhada deverá ser feita com urgência, sendo possível, inclusive, recorrer a uma cirurgia, caso a criança apresente deficiências ou malformações da face. Na maioria dos casos, a apnéia não representa uma ameaça para o bebê e a tendência é desaparecer naturalmente.
Apnéia do Sono: Medidas Simples Evitam Maiores Problemas
A apnéia do sono, parada respiratória, ocorre normalmente em recém- nascidos, podendo ser observada com mais freqüência em bebês prematuros. Caso a parada respiratória permaneça por mais de 10 segundos é necessário buscar ajuda médica. Alguns recursos médicos existentes evitam danos à saúde do bebê.
A prevenção pode ser o melhor remédio, porém nem sempre é possível evitar a apnéia, que provém da falta de maturação do sistema nervoso do bebê. Ainda assim, alguns cuidados simples são importantes. Evite deitar o bebê de barriga para baixo (deite-o sempre para cima ou de lado), facilitando o esvaziamento do estômago. Nos primeiros meses de vida é recomendado elevar a cabeceira do berço para deixar a cabeça do bebê levemente erguida. Após a mamada, esperar a criança arrotar sem bater nas cotas para não provocar a subida do líquido que já está no estômago.
Há três tipos de apnéia: a central, que ocorre quando o fluxo e o movimento torácico abdominal não é realizado; a obstrutiva, quando há obstrução à passagem de ar e, a apnéia do tipo misto, que provoca uma diminuição da freqüência cardíaca e queda na oxigenação do sangue.
Caso a criança apresente um quadro normal e, ainda assim, tiver apnéia por alguns segundos, não haverá conseqüências para seu organismo, porém se durar mais tempo poderá levar a uma parada cardiorrespiratória.
Em casos de apnéia, a mãe deve assoprar o bebê de leve ou estimulá-lo com as mãos, caso ele não responda e apresente lábios roxo e palidez é melhor procurar um médico.

Quais são e como tratar os problemas genitais dos meninos
Nos meninos, o prepúcio (pele que cobre a ponta do pênis) pode inflamar ou infeccionar devido as assaduras. Quando na região da virilha ou no escroto é verificado inchaço, pode indicar hérnia - uma alça dos intestinos que fica protuberante em uma parte fraca das paredes abdominais. Se o prepúcio de seu filho está inflamado, lave-o sem sabonete e seque-o a cada troca de fralda, ou pelo menos uma vez por dia. Use sabão de coco para lavar as fraldas e enxágüe-as bem.
Procure não puxar o prepúcio de seu filho para trás, pois esta pele não se retrai até pelo menos os quatro anos de idade. Se forçá-lo, poderá provocar uma inflamação.
Você deve procurar um médico imediatamente, caso:
• prepúcio de seu filho estiver inchado, vermelho ou com corrimento.
• a hérnia de seu filho começar a doer ou tiver alguma alteração.
Há casos em que pode ser feita uma circuncisão (cirurgia para remoção do (repúcio).
Caso você pense em circuncidar seu filho, converse com o médico, pois como toda cirurgia, esta também traz riscos e somente é feita por razões médicas ou religiosas.

Quais são e como tratar os problemas genitais das meninas
Quando bebê, a menina pode ter a vagina afetada por algumas irritações tais como assaduras, candidíase ou oxiúros. Atenção: sangue ou mau cheiro na vagina são indícios de que a criança inseriu algo na vagina. Em recém-nascidas, um corrimento esbranquiçado com sangue durante alguns dias é comum e não deve ser motivo de preocupação. Após esta fase - e até antes da puberdade -, os corrimentos passam a ser anormais.
O alerta vale também para sinais de dor ou coceira dentro ou ao redor da vagina, vermelhidão e corrimentos persistentes, pois indicam que algo não vai bem.

Medicação Materna: Riscos
É muito difícil para as mães resistir à tendência de medicar as crianças. Quando a doença em questão é gripe, tosse, resfriado e vômitos o mais comum é apelar para aquele remédio esquecido no fundo de uma gaveta. Muitas vezes, é neste momento que começam problemas mais sérios.
Os especialistas alertam contra esta tendência materna e relacionam uma série de riscos para a criança que vão desde erro de dosagem até alteração do nível de consciência da criança, passando ainda por fatores como erro na escolha do medicamento e sonolência excessiva nos bebês.
Os analgésicos e antitérmicos são os remédios mais utilizados pelas mães, mas vale lembrar que não são tão inofensivos como se pode pensar. O erro de dosagem pode trazer danos sérios à saúde do bebê. O ácido acetilsalicílico, a popular Aspirina, também não deve ser dada a crianças muito pequenas, pois há estudos ligando o medicamento a uma síndrome que debilita várias partes do organismo da criança. A consulta a um pediatra é a maneira mais indicada para sanar problemas tanto com doenças simples como complicadas.

Prematuro:
Mamãe Canguru no Hospital e Maternidade São Camilo
O Hospital de Maternidade São Camilo é um dos hospitais paulista que implantou na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica , O Método Canguru. Regulamentado pelo Ministério da Saúde, o método implica no contato pele a pele entre a mãe e o recém-nascido de baixo peso, pelo tempo que ambos acharem suficiente e prazeroso. Segundo a enfermeira-chefe da pediatria, Sônia Godinho de Lara, os bebês são enfaixados no corpo da mãe, na altura do peito, por duas ou três horas diárias. “O processo estimula a parte sensorial e motora da criança”, afirma.
O prematuro geralmente tem que ficar no hospital por algum período e o método tem dado a oportunidade dos pais terem contato com o bebê. “O vínculo mãe-filho aumenta, diminuindo o tempo de separação, evitando longos períodos sem estimulação sensorial e favorecendo o aleitamento materno”, explica a enfermeira. “Tanto que os prematuros enfaixados nas mães ganham peso mais rapidamente”, acrescenta.
Além de dar aos pais a confiança de tocar no filho, mesmo depois da alta, o Método Canguru ajuda a entende que a criança está na UTI apenas para se recuperar. “Os pais perdem o medo da UTI e começam a participar e a ajudar na recuperação do filho”, afirma.
A enfermeira-assistente Isabel Cristiane Fernandes - que faz especialização em neonatologia na Escola Paulista de Medicina -, coordena o Projeto Mãe Canguru no Hospital e Maternidade São Camilo. A enfermeira enfaixa o filho à mãe e fica do lado dos dois informando e orientando sobre os batimentos cardíacos do bebê, que indica as emoções do recém-nascido. “Depois da implantação do método, tanto a mãe quanto a criança acreditam mais no trabalho da equipe”, salienta. Esse contato faz com que a mãe perceba que por mais frágil que seja o prematuro, ele pode ser tocado. “A nossa experiência com este projeto é gratificante. A mãe entra na UTI apagada e sai radiante”, salienta Sônia.

Emergência! Quando é Hora de Chamar o Pediatra?
O bebê recém-nascido exige uma série de cuidados. Os primeiros deles são feitos ainda na maternidade e prosseguem durante os primeiros dias de vida da criança. Muitas vezes, o recém-nascido tem dificuldade em mamar, conciliar o sono. Além disso, tem tendência a vômitos ou cólicas. A presença da mãe é essencial para assegurar ao bebê tranqüilidade e calma, pois todos os acontecimentos - desde o primeiro dia de vida -, podem influenciar favoravelmente ou desfavoravelmente a personalidade da criança.
Muitos são os sintomas que dão o sinal de perigo. Nessas ocasiões, o pediatra deve ser avisado imediatamente. Uma dificuldade respiratória, diminuição de açúcar no sangue, queda de temperatura, infecção ou problema de coração podem gerar uma coloração azulada nos lábios, rosto e mãos. Já os tremores e convulsões podem indicar problema cerebral, infecção, desidratação ou deficiência de açúcar. A palidez do recém-nascido pode indicar perda interna de sangue ou eliminação pelo intestino, necessidade de oxigênio ou tendência ao estado de choque. Outro sintoma que requer o acompanhamento médico é a prostração letárgica, cujas causas são conseqüência da anestesia materna, traumatismo cerebral ou febre.
Irritabilidade, acompanhada de gritos podem indicar problemas abdominais, cerebrais ou inflamação no ouvido. O bebê muito agitado pode ter como causas a falta de oxigênio ou queda de açúcar ou cálcio no sangue. As dificuldades respiratórias são comuns em bebês prematuros de baixo peso e podem ter origem cerebral ou problemas das vias respiratórias. Fezes líquidas com ou sem catarro ou muco podem ser sinal de perigo e devem ser comunicadas ao pediatra.
Um outro sinal de que algo está errado com o bebê é a distensão abdominal e a imobilidade de um braço ou perna, que podem indicar uma fratura, distensão dos nervos, infecção ou sífilis congênita.

Matéria2

1 - Cuidando das roupinhas
Vista suavemente seu bebê. Mantenha sempre a mão uma muda de roupa, para que não seja necessário deixá-lo sozinho sobre o trocador. Não encha seu filho de roupas, porque os bebês se superaquecem com facilidade. Entretanto, não seja extremista, pois eles têm mais dificuldade do que os adultos para se aquecer. recém-nascidos, geralmente, são enrolados num cobertorzinho.

2 - Visitando o médico
Em cada visita o bebê será pesado e medido. Os meninos são mais pesados e maiores que as meninas, mesmo durante a infância, os gráficos são diferentes para cada sexo. Boa parte dessa variação de peso e altura que ocorre é devido a fatores genéticos (passados de pais para filhos). Além da importante averiguação de peso, altura e circunferência craniana, serão feitos exames físicos completos para assegurar que a criança é saudável, o médico irá verificar no bebê: o desenvolvimento psicomotor,perguntará a você sobre os progressos de seu filhote, verá a visão, a fala e a audição.
3 - Brinquedos e Brincadeiras

Meses Brinquedos e Brincadeiras
1 Nesta fase o móbile será o melhor brinquedo para eles, preferencialmente que tenha música.
2 e 3 Móbiles, brinquedos que tenham sons e qualquer coisa que pareça estar sorrindo irão atraí-lo. Ainda não conseguem brincar pelas próprias mãos, porém se você puder segurar na frente dele ele irá gostar.
4 e 5 Chocalhos e brinquedos que possam ser levados a boca. Os móbiles ainda chamam a atenção deles mas agora o interesse deles nos móbiles é para alcança-los. Gostam de tomar banho e de brincarem no banho e de se olhar no espelho.
6 a 8 Gosta de rir e tentar bater no seu reflexo no espelho. Agora está bem ativo e o momento que ele mais detesta é na hora de trocar roupas ou fraldas. gosta de brincar de esconde-esconde.
9 a 11 Já consegue se divertir sozinho com seus brinquedos. gosta de papel, de atirar objetos no chão e de amontoar as coisas.
12 Gosta de dançar, de folhear livros ou revistas, principalmente rasga-las 9 cuidado : seu anjinho adora comer papel). Provavelmente tem um bichinho especial de estimação no qual é muito apegado e o leva para todos os lugares.

4 - Cuidando da Moleira
A moleira se localiza no topo da cabeça , é um lugar macio coberta por uma membrana quase tão forte quanto uma lona, e ele existe até que os 4 ossos do crânio se juntem. Apesar disso , deve-se evitar pressionar ou passar objetos pontudos na área. Quando a moleira esta afundada pode significar desidratação. Quando esta saliente ou retesado pode indicar uma moléstia e deve-se informar imediatamente ao médico. Quando olhamos a moleira parece que ela esta pulsando ao ritmo dos batimentos cardíacos, isto é normal.

5 - Os Primeiros Dentinhos

Sequência de aparecimento dos dentes, chamados de dente de leite e composto por 20 dentes temporários:
Incisivos Centrais 6 a 8 meses
Incisivos Laterais 8 a 10 meses
Primeiros Molares 14 a 16 meses
Caninos 17 a 20 meses
Segundos Molares 22 a 24 meses

Esta tabela acima não é padrão, muitos bebês normais terão os primeiros dentes só nascem aos 4 meses , enquanto outros, só com um ano de vida. A dentição não causa grandes problemas, somente irritação na gengiva e salivação excessiva. Para diminuir uma provável irritação do seu bebê dê-lhe um objeto frio e seguro para que ele possa mastigar, nunca dê remédios ( a não ser sob orientação médica), se o seu bebê apresentar outros sintomas diferentes entre em contato com o seu médico. Deve-se escovar os dentes do bebê assim que eles aparecem, principalmente daqueles que tomam mamadeira.

6 - Tomando banho
Ao dar banho em seu bebê coloque a banheira numa altura que não lhe cause dor nas costas e lhe canse rapidamente. Coloque uma temperatura confortável para o bebê, lembre-se de provar a água com seu cotovelo. Nunca deixe seu bebê sozinho na banheira, mantenha o ambiente onde estiver dando banho aquecido, tire dos dedos tudo que pode machucar o seu bebê, coloque uma toalha ou uma espuma no fundo da banheira para evitar o risco dele escorregar, mantenha tudo que você precisa por perto para não precisar se afastar do bebê, limpe a orelha somente por fora. com o passar dos tempos o bebê crescer e começa apreciar melhor a hora do banho.


7 - Trocando as fraldas
Evite uso de talco , pois ele pode ser inalado e pode fazer mal. Muito cuidado com as assaduras, use o produto adequado normalmente indicado pelo seu médico.


8 - Umbigo
Normalmente cai entre a primeira e a terceira semana de vida. Toda vez que trocar o bebê limpe o umbigo com álcool 70%. Não há necessidade de enfaixar ou passar qualquer remédio a não ser orientado pelo médico. O álcool não dói o que incomoda o bebê é o fato do álcool ser gelado. É normal aparecer um pouco de sangue na fralda quando o umbigo estiver para cair, porem se este sangue for frequente entre em contato com o médico.


9 - O soninho do bebê
Um recém-nascido dorme 16 horas por dia ou mais, acordando de 2 a 3 vezes por noite, a medida que ele vai crescendo eles começam a passar mais tempo acordados, é bom deixar bem claro para o bebê a diferença entre noite e dia, porque se ele acostumar dormir somente durante o dia , provavelmente ele ficará acordado durante toda a noite e vai querer sua atenção, ai nem ele nem você dormirão.Com o passar dos dias faça o seu bebê acostumar com os barulhos normais da casa para que ele aprenda que isto vai fazer parte da rotina dele, mais cuidado, evite barulho exagerado para não colocá-lo nervoso e nem assustado.Crie uma rotina conhecida para o seu bebê para que ele saiba que a hora de dormir esta chegando, faça associação com alguma coisa para que entenda. Após uma certa idade ele começara utilizar um conforto, tal como: bichos de pelúcia, um cobertor especifico ou até mesmo chupar dedo. Isto serve para aclama-lo quando ele tiver que ficar sozinho, é bastante saudável para o bebê e no caso do dedo relate ao médico que ele te dirá quais os procedimentos melhor para tomar para que ele largue esta mania. As vezes o bebê demora mais a dormir com medo de te perder, é muito normal isto, com o tempo ele se acostumará.

10 - Cólicas
A cólica ainda não é bem definida entre os pediatras. geralmente começam após as 3 primeiras semanas e duram até o 3º mês. Nem todos os bebês apresentam estas cólicas por muito tempo, outros nem tem e outros ainda duram até o 4º mês. As possíveis causas das cólicas segundo os médicos são: sistema nervoso muito sensível, reação noturna aos estímulos de um dia cheio, sistema neurológico ou digestivo supersensível, gases, sensibilidade a alimentação, sensibilidade a certos alimentos da dieta da mãe passado para o bebê através da mama e introdução precoce de alimentos sólidos. Existe algumas coisas que é possível fazer para passar as cólicas ou diminuí-las: nunca deixe seu bebê chorando sozinho no momento de cólica, mantenha-se calma para poder acalma-lo, coloque de bruços em teu antebraço e massageie a suas costas, coloque uma fralda morna na sua barriga ou encoste ele na sua barriga ( pele nua contra pele nua), faça com que o bebê arrote após cada mamada , cuidado com a sua alimentação, vigie o que você esta comendo ou bebendo, alguns bebês são sensíveis a por exemplo: frutas acidas, cafeína, refrigerante, carne vermelha, amendoim, ovos, manteiga, leite, etc, converse com o seu médico. As cólicas não vão durar para sempre, tenha sempre isto em mente.


 

Copyright © 2008   Farmácia Herbanário Ltda. Todos os direitos reservados.